Você sabe o que seu filho come na escola? Alimentação faz parte do projeto pedagógico da Escola Viva

0
179

Para a equipe da Escola Viva, localizada no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo, o ato de comer não se restringe apenas ao valor nutricional dos alimentos. “Alimentação também envolve a representação de afetividade e cultura”, explica a coordenadora pedagógica do Ensino Infantil, Katia Keiko Matunaga. A educação alimentar faz parte do projeto pedagógico da escola, por isso, a equipe conta com nutricionistas e atividades relacionadas aos alimentos. Os alunos não levam os lanches de casa e tudo é pensado e dividido de acordo com as necessidades e desejos das turmas.

“Nós acreditamos que a criança tem uma participação ativa nessa questão, ou seja, ela faz escolhas e tem direito a ter preferências: a alimentação tem tempero adequado e o aluno pode definir a quantidade de comida que quer”, explica Katia. No Ensino Infantil, os professores sempre comem com os alunos, isso ajuda a reforçar a experiência coletiva da comida e aumenta o senso de comunidade da turma. “Eu acredito que essa experiência tem a perspectiva do ritual afetivo. Ao longo do Infantil é comum que se façam projetos das comidas preferidas das crianças”.

Katia exemplificou que uma das atividades propostas pelos professores é a de trocas alimentares. Os pais e responsáveis mandam uma receita de algo que a criança gosta de comer em casa e a turma traz os ingredientes para que todos compartilhem algo que diz respeito às preferências dela. Outro projeto que acontece com alunos de 1 a 2 anos é o ‘Eu adoro’: os professores constroem uma caixa e, cada vez que uma criança é sorteada, ela leva a caixa para casa e coloca um alimento preferido dentro. Quando chega na escola, a comida é compartilhada com os amigos. Desta forma, a alimentação também tem relação com a questão cultural, já que não necessariamente o que se come em uma casa, é o que se come na outra.

A coordenadora também reforça que a infância é o tempo em que é construído o repertório alimentar, então quanto mais ofertas e coisas forem experimentadas, maior a possibilidade de expansão do paladar. “Na Escola Viva, sempre priorizamos alimentos naturais e desde o início do ano nossa equipe passou a trabalhar com produtos orgânicos, o que é um grande ganho. Para os pequenos, não apresentamos o açúcar e optamos por frutas e legumes. O objetivo é que a alimentação se converta em temáticas para construir bons hábitos alimentares”, conclui.

Escola Viva (www.escolaviva.com.br) – Fundada há 45 anos, na Vila Olímpia (SP), a Escola Viva é referência na formação de alunos com autonomia para construir suas próprias trajetórias. Enquanto os ensinos Infantil e Fundamental prezam pela formação integral e pelo desenvolvimento dos aspectos socioafetivos, o Ensino Médio promove a continuidade desse processo ao se aliar com práticas multidisciplinares que envolvem desde empreendedorismo até responsabilidade socioambiental, formando jovens preparados para os desafios do século XXI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here